Mapas conceituais – Como fazer

Por que usar mapas conceituais?

Vivemos um momento em que, a cada dia que passa, lidamos com maior quantidade de informação: conceitos, fatos, relações etc.

Por um lado, a facilidade de acesso à informação é um aspecto muito bom. Por outro lado, representa um novo e difícil desafio: Como lidar com isso sem nos perder em meio a tantas ideias? Como organizar o pensamento?

Tal desafio se apresenta cotidianamente a professores e alunos! É preciso saber lidar com ele de modo a organizar o aprendizado ao longo do tempo, sem que o novo se sobreponha ao anterior escondendo-o nos confins da memória. Novos conhecimentos devem ser conectados aos anteriores formando uma verdadeira rede de significados ancorados entre si. Assim, o antigo e o novo se mesclam tornando-se um só!

Uma boa alternativa é o mapeamento conceitual!

O exercício de organizar as ideias, no papel, com relações claramente apresentadas, contribui para que o mesmo ocorra em nossa memória. Ou seja, o pensar sobre as relações entre ideias enquanto tentamos elaborar um mapa conceitual contribui para o estabelecimento, revisão e fortalecimento das mesmas relações no nível da memória.

O que é um mapa conceitual

Mapa conceitual é uma representação das relações existentes entre diferentes conceitos, organizada de maneira simples e mais fácil de visualizar. Tais relações são representadas por “proposições”, que expressam de forma clara e objetiva a relação entre dois conceitos (ideias).

Ao ler um texto escrito são apresentadas diversas ideias encadeadas e estruturadas de forma lógica, com o objetivo de comunicar algo. Se o texto é denso, muitas vezes ao longo da leitura precisamos fazer uma pausa e voltar a ideias anteriormente mencionadas para buscar sua conexão com aquelas do trecho atual.

Mapas conceituais podem ajudar na compreensão das relações entre as diferentes ideias do texto, por apresentá-las de forma esquemática e, visualmente, mais simples. Eles não substituem o texto, mas podem ser uma poderosa ferramenta de estudo em diferentes momentos de uma sequência didática.

Como fazer um mapa conceitual

1 – Reflita sobre o tema de seu MC. Liste os principais conceitos relacionados ao tema.

2 – Organize esses conceitos hierarquicamente, segundo seu grau de importância ou abrangência, desde o mais importante e abrangente (a ser colocado na parte superior do papel) até os menos importantes, colocados nas extremidades do MC.

3 – Estabeleça as relações entre os conceitos já dispostos no papel e, a partir delas, amplie seu MC com os outros conceitos. Escreva-as de forma bastante precisa e objetiva sobre a seta que liga cada dupla de conceitos.

img062

Exemplo de mapa conceitual feito “na mão”

Clique aqui para assistir a uma videoaula sobre como fazer mapas conceituais

Leia também o artigo sobre Sequências Didáticas. O mapeamento conceitual pode ser bastante útil em diversos momentos de uma sequência didática, desde o levantamento de conhecimentos prévios, no início, passando pelo planejamento de atividades até a sistematização do conhecimento adquirido, no final.

Em outro texto apresento um exemplo do uso de mapas conceituais como parte essencial da sequência didática, tanto pelos alunos como pelo professor. Sugiro sua leitura clicando aqui!

Pense a respeito!

Abraços.

Carlos Eduardo Godoy (Prof. Amparo).

Dicas de livros sobre mapas conceituais